terça-feira, 24 de novembro de 2009

O mundo dos gelados

Sempre gostei de McFlurry de M&M's, aliás, era o meu preferido.
.
Sempre que ia ao McDonald's não havia dúvidas quanto à minha escolha: "É um McFlurry de M&M's, faxavor!".
.
Durante anos foi assim. Nunca liguei aos novos sabores que surgiam. Não queria saber do McFlurry de Kit-Kat, de Cornetto Morango, de Chocolate Milka, de Crunch. Era só o de M&M's que me enchia o olho.
.
Um dia, cansada de escolher sempre o mesmo sabor, decidi provar um outro, e pedi um McFlurry de Oreo. Provei, gostei, e adoptei. Depois de muito tempo a comer McFlurry's de M&M's quebrei com esse hábito e passei a comer sempre McFlurry's de Oreo.
.
No entanto, mesmo comendo sempre os de Oreo, continuava a achar que o meu favorito, na realidade era o de M&M's; apenas tinha feito uma pausa, mas continuava a ser o meu predilecto.
.
Há tempos voltei a provar o McFlurry de M&M's...e não me soube tão bem quanto antes...
.
Afinal ele já tinha deixado de ser o meu favorito há algum tempo, eu é que ainda não sabia e só o descobri quando o voltei a provar...

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Pensamento do dia

Da maneira que isto anda...


Vou ali comprar umas pilhas e já volto...
.
.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Coimbra com...

Como todos sabem (ou pelo menos deviam saber, e ter ido exercer o seu dever cívico), o país esteve em eleições autárquicas há pouco tempo.
Aqui por Coimbra tivemos uns quantos candidatos: de direitas, de esquerdas, de centros, de cimas, de baixos, e até indepententes.
Para dizer a verdade, alguns deles nem cheguei a saber quem eram, e acredito que a maioria da população Conimbricense também não, visto que o orçamento para a campanha desses partidos não devia ser muito.
Pelo contrário, outros devem ter puxado bem os cordões à bolsa, porque era vê-los em qualquer rotunda, em tamanhos A 0,0001, anunciando:


No início, enquanto ainda andava confusa e não dava bem conta da diferença das caras e cores de fundo, cheguei a pensar que todos deviam fazer parte do mesmo partido, baralhada com tanto "Por Coimbra com..." (se calhar foi a mesma pessoa que lhes criou o slogan, numa promoção "Pague um leve dois", para poupar uns trocos nos cartazes).
Ao menos o candidato Socialista foi mais original e rejeitou o "Por" no seu slogan, porque parecendo que não, fez toda a diferença (no resultado é que não deve ter sido...).

Enquanto contornava as rotundas, cheguei mesmo a dar uma segunda volta para ter a certeza se entre o "Coimbra com Trabalho", e o "Coimbra com Amor", não aparecia uma "Coimbra com Dinheiro" e uma "Coimbra com Saúde", porque formavam logo todas as categorias do Horóscopo de Coimbra:
- Trabalho: esta semana elimine o "com", porque o mais certo é deparar-se com uma "Coimbra SEM Trabalho";
- Amor: tranquilize (ou não) o seu par, pois o Amor encontrará uma (Re)Encarnação pela 3ª vez;
- Dinheiro: financeiramente é melhor apertar o cinto pois a coisa estará preta esta semana, e a outra, e a seguinte também;
- Saúde: não se preocupe nem tente fugir mais à Gripe A, se não a apanhar no estrangeiro, ou em qualquer outro sítio, com certeza apanhará na sala de espera das Urgências do seu Centro de Saúde, quando lá for despistar o pingo do nariz que temia ser Gripe A.
.

Certo é que o resultado destas eleições já estava mais que sabido, pelo menos desde a Antiguidade Clássica, pois já Virgílio tinha vindo dizer que "O Amor vence tudo" (Omnia vincit amor)...

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Le Fabuleux Destin de Sophie Lapin

Le 29 septembre 1987, aux 00 heures, 45 minutes, et quelques secondes, la plupart de la population de Coimbra restait sous les draps de leurs lits. Au ce même moment, dans une des chambres du bâtiment rose de la Rue Augusta, naissait Sofia, une rosée et petite fille.
.
Les jours, les mois, puis les années passent. Elle prend plaisir à se poser des questions idiotes sur le monde ou sur cette ville qui s'étend là sous ses yeux.
.
A 22 ans, elle se découvre un but : réparer la vie des autres.
.
Sophie a soudain le sentiment étrange d'être en harmonie totale avec elle-même. Tout est parfait en cet instant. La douceur de la lumième, ce petit parfum dans l'air, la rumeur tranquille de la ville. Elle inspire profondément et la vie lui paraît alors si simple et si limpide qu'un élan d'amour comme un désir d'aider l'humanité entière la submerge tout à coup.
.
Néanmoins, un entourage hétéroclite de gens bizarres lui donne fort à faire, et elle pense:
"Bon...c'est meilleur d'aider des personnes dont gnomes de jardin".
.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Era um exorcista faxabor!

Tenho a crer que alguém me deverá querer muito mal.

Nunca acreditei em bruxas e mau-olhados, e rezas e mezinhas, mas de há uns bons tempos para cá comecei a acreditar realmente que me deverão ter lançado alguma magia negra.

Isto porque o meu telemóvel anda possuído pelo Diabo!!!

Sim! Porque sempre que faço ou recebo chamadas ouço uma tecla que clica sempre sozinha...e não são raras as vezes em que quando desligo a chamada e olho para o ecrã vejo isto...
_

Por isso venho aqui publicamente pedir ao Senhor Diabo que me largue o telemóvel...porque, parecendo que não, o barulhinho incessante da tecla 6 a carregar sozinha enquanto estou ao telemóvel, irrita um bocadinho!!!

Caso o Exmo. Senhor Diabo não se digne a cumprir o pedido, perguntava a alguém se conhecem um bom exorcista...ou vá...em último caso, apenas um técnico de informática que me ponha o telemóvel a funcionar como deve ser outra vez.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Michael Jackson's Son

Este blog não se manifestou perante a notícia da morte dessa grande estrela do Pop, ao qual chamaram "Rei do Pop", Michael Jackson.

Não se manifestou porque mais uma vez poderia ferir as susceptibilidades dos seus grandes fãs, com piadas maldosas, como aquelas que foram aparecendo logo poucas horas após a notícia ser divulgada (como, por exemplo, "Qual foi a última operação que o MJ fez? Mandou esticar o pernil"; ou ainda "Após a autópsia de MJ decidiu-se que este não será enterrado. Com tanta plástica, vai ser depositado no ecoponto amarelo").


E vai continuar sem comentar as especulações sobre a realização de inúmeras operações plásticas (que negou ter feito); a sua metamorfose cromática (que parece não se dever a um desejo de ser branco, mas sim a uma doença de pele que o obrigou a fazer despigmentação da pele); ou mesmo, o seu grande afecto pelas criancinhas (que o levou a construir uma Terra do Nunca, onde convidar crianças para dormir na sua cama constitui um sinal de carinho e amor).

O Sarda(nisca)s não vai comentar nenhum destes acontecimentos que, em vida, não abonaram muito a favor de Michael Jackson. Limita-se apenas a comentar a mais recente, e póstuma, notícia sobre a existência de mais um filho de MJ, um jovem norueguês de 25 anos chamado Omer Bhatti.

Com esta notícia, acho que está na altura de reformular a letra da música "Billie Jean", porque, afinal, "the kid is his son"!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Somos os melhores deficientes!

Em qualquer competição desportiva de âmbito internacional, Portugal costuma dar sempre o ar da sua graça e trazer uma ou outra medalha para casa (nem que seja em modalidades das quais nunca ninguém ouviu falar, como "Salto-ao-eixo-sobre-cones-de-plástico-com-mortal-atrás-encarpado").

Contudo, os atletas portugueses tornam-se verdadeiro motivo de orgulho quando se trata de campeonatos internacionais paradesportivos.

Exemplo disso foram os Jogos Olímpicos de 2008 onde, enquanto nos contentámos com uma medalha de ouro do Évora, e uma de prata da Vanessa, nos Paraolímpicos os atletas arrecadaram quase uma dezena de medalhas nas modalidades de boccia, atletismo e natação.

E depois há quem pergunte "Como é que os aleijadinhos conseguem mais medalhas que os outros?"

É caso para dizer que (nesta e noutras categorias...) Portugal tem os melhores deficientes do mundo!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Idas aos pares ao WC - A desconfirmação do mito

É largamente conhecido o mito de que as mulheres vão sempre aos pares à casa-de-banho.

Muitos homens têm travado longas discussões e reflexões, desde os primórdios da história (dos WC's públicos), sobre a razão de tal comportamento: será para agarrarem nas coisas da amiga enquanto a outra está a mijar; será para se agarrarem uma à outra para não assentarem as peidas na borda da sanita; será para se maquilharem umas às outras; será para falarem mal da "p***" da gaja que lhes está a roubar a atenção dos gajos todos; será para cuscarem o quanto aquele gajo é tão giro e estava a olhar para elas; será para se comerem?...

No entanto, até hoje, nenhum destes homens chegou a uma resposta razoável e satisfatória para a sua curiosidade sobre "idas-de-gajas-aos-pares-à-casa-de-banho", nem obteve provas concretas a este respeito. E isto, devido ao que se pode observar na seguinte imagem:

E agora os caros leitores perguntam "Como é que duas portas de WC podem desconfirmar o mito das "Idas-de-gajas-aos-pares-à-casa-de-banho"?"

Ora meus caros, como podem ver, a porta do WC Masculino é mais larga que a porta do WC feminino, e isto verifica-se porque (não, não é por os gajos serem mais musculados e espaçosos e precisarem de mais espaço para passar...)...não são as gajas que vão aos pares à casa-de-banho...mas sim os GAJOS!!!



Agora, a questão que se coloca é "Mas os gajos vão aos pares ao WC para agarrarem na pichota um do outro enquanto mijam?"

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Sofia...já passaste das marcas!

Há tempos tive uma ideia genial!
.
E se...
.
...a Visão tivesse uma versão em braille para cegos?...
.
.
.
(Ok...se calhar não foi assim tão genial...)

terça-feira, 12 de maio de 2009

Queima(da)2009

Depois de dois anos a investir, de brindes vendidos, postais regateados a turistas, convívios fracassados, quotas mensais a sairem-nos do bolso, patrocínios arrecadados, flores enroladas, atadas, e armadas, eis que o objectivo mentalmente projectado se materializa.

Um quarteirão de pessoas mete mãos à obra para, lutando contra chuvas e plásticos indesejados, transformar um camião cor-de-rosa num "pseudo-louco alaranjado".

Tamanho feito não se procede, no entanto, sem pressões, arrufos, frases repetidas ("Precisamos de mais papel!", "Precisamos de mais flores!") , correrias de última hora, biscates de véspera, e primeiras noites de parque mal aproveitadas de cansaço e preocupação.

Mas rapidamente se chega ao grande dia! Um dos melhores e mais emocionantes de toda a vida académica!

O primeiro momento de nó na garganta acontece quando após queimar o grelo, e libertar as fitas surge o pensamento "Ai opá...já sou fitada...está quase a acabar!".

No entanto, é quando toda a tripulação está a postos, e a viagem se inicia que a maior emoção se apodera de todas nós. Nesse momento, são esquecidas as chatices, e todo o trabalho que deu poder estar ali.

A determinada altura (ajudada possivelmente pela clarividência de umas quantas canecas de inox viradas de martini rosato, e vodka morango e redbull) faz-se luz: "Isto é O cortejo! Andei 3 queimas para isto!".
Porque só depois de fazermos o percurso D.Dinis-Portagem no carro percebemos que o verdadeiro cortejo acontece todo naqueles poucos metros quadrados. O mundo lá fora desaparece, e só ali interessa!

A viagem mais emocionante da nossa vida recheia-se ainda de destruições de carro por trogloditas desportivos, banhos de cerveja dignos de concursos "Miss Camisa Molhada", mãos e braços arranhados, nódoas negras de quedas e pisadelas, e abraços chorosos, partilhados com as amizades que estes anos nos proporcionaram.

Ao chegar ao fim, e ao assistir à destruição daquele que foi o nosso meio de transporte por umas poucas horas, mas que foi o nosso objectivo por uns tantos anos, a vontade inicial de continuar a festa com os que viajavam mais atrás, é substituída por um sentimento melancólico de nostalgia, sobre o fim daquele dia, e sobre a aproximação do fim desta época da nossa vida.

Venham dizer que são tradicionalismos retrógradas, praxes ridículas, perda de tempo, dinheiro mal gasto, sentimentalismos, lamechices.

Venham dizer o que quiserem, mas quem o disser com certeza nunca o terá vivido, nem terá a oportunidade única de o viver.

A Queima é sem dúvida em Coimbra! O resto são Fitas!

domingo, 3 de maio de 2009

7 maravilha(s) da Queima...

E pufff...

...foi-se...
...num abrir e fechar de olhos...

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Caricaturices - parte II

E eis que finalmente surge a verdadeira obra-prima...
_
_

E eu gosto tanto!!! ^^

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Se7e

Sorteio dos carros para o cortejo da Queima das Fitas.

Ansiedade via telemóvica.

Anúncio vindo do lado de lá: "Somos o 7!!! F***-se!"

Reacção vinda do lado de cá: "Somos o 7??? F***-se!"

Pensamentos frustrados e deprimidos:
- "Porra, somos logo dos primeiros!"
- "Porra, ainda o cortejo não começou e nós já o acabámos!"
- "Porra, tanto dinheiro e tempo investido e vai passar a correr!"
- "Porra, o pessoal conhecido vem todo lá atrás!"
- "Porra, vamos acabar com montes de coisas a sobrar!"
- "Porra, que porcaria!"
- "Porra, que sorte!"
- "Porra, que azar!"
- "Porra, que porra!"

Após impacto inicial extremamente negativo, necessidade de encontrar interpretações alternativas e B's positivos:
- "Porra, 7 é um número mágico e cabalístico!"
- "Porra, 7 são os pecados mortais (e nós somos cada pecado!)!"
- "Porra, 7 na bíblia significa plenitude (e nós teremos o carro PLEEENO de álcool!)!"
- "Porra, 7 é uma honra, somos o primeiro carro de Psicologia no cortejo, estamos a representar a FPCEUC, não é qualquer um que tem esse prestígio!"
- "Porra, 7 dá para fazer o cortejo todo no carro, e ainda voltar atrás para ir ter com o pessoal (se não tivermos morrido até lá...)!"
- "Porra, 7 só não é a conta que Deus fez porque ele não sabia a tabuada!"
- "Porra, 7 e 7 são 14, com mais 7, 21, tenho 7 namorados e não gosto de nenhum!"
- "Porra, 7 são os dias da semana!"
- "Porra, 7 são os palmos de terra!"
- "Porra, 7 são as notas musicais!"
- "Porra, 7 foram os dias em que Deus criou o mundo!"
- "Porra, 7 são as cores do arco íris!"
- "Porra, 7 são os Anões da Branca de Neve!"
- "Porra, 7 são as maravilhas do mundo!"
- "Porra, 7 é o nosso carro e vai ser um espectáculo!"

Por isso meus amigos, não me venham com "ai...és o 7?...", que agora que arranjei tantas coisas boas a favor do 7 ninguém me vai deprimir!

7 é bom, 7 somos nós, 7 são as...

sábado, 4 de abril de 2009

Oficialmente indie

Sempre quis aprender a tocar um instrumento, mas nunca calhou, ou por falta de tempo, de dinheiro ou ainda (e o mais provável) por preguiça.
Em pequenina gostava de ter aprendido a tocar violino ou piano, mas o mais longe que cheguei na minha promissora carreira musical foi a tocar flauta no 5º e 6º anos, trazendo alegremente para casa as suas chiadeiras e dando cabo dos tímpanos à minha mãe.
Ao longo do tempo e enquanto crescia pensava "ao menos se aprendesse a tocar guitarra...mas como faço se não quero pagar aulas, nem tenho nenhuma para treinar sozinha?".
_
A este respeito, no famoso e polémico blog do Rapador, num posto intitulado "Indie é..." ( http://rapador.blogspot.com/2009/03/indie-e.html), pode-se ler algures:

"Indie é ter uma guitarra em casa e não saber tocá-la, tê-la só mesmo porque é fixe"

Realmente, arranjar uma guitarra só por mania e porque é fixe, sem saber tocá-la é uma autêntica parvoíce!
_
E foi por isso que eu...acabei por comprar uma...
_
Agora que tenho isto por casa...

...acho que me posso considerar oficialmente indie...

_

Alguém disponível para dar umas aulas?...De borla!!!

domingo, 29 de março de 2009

Este é um post de gaja!

É comum haver por aí a visão de que as gajas são umas lamechas pegajosas e os gajos uns brutamontes insensíveis.
Quando gajos e gajas se conhecem tudo na boa.
Os gajos gostam das q*****...as gajas também.
Entretanto, os gajos continuam a gostar das q***** e ficam-se por aí...
As gajas também continuam a gostar delas, mas começam a querer mais que isso.
E é quando o problema surge:
"F***-se aquela gaja não me larga! Tenho de a despachar!"
"Mas porque é que ele não me liga nenhuma?! Eu gosto tanto dele!"

Há uma série de coisas que nos mostram isso: filmes ("He's just not that into you" deve ser um deles); músicas ("I will survive" deve ser o hit das gajas rejeitadas); artigos de revistas femininas (ao estilo "Faça o teste e veja se ele está realmente interessado em você!"); até investigações científicas sobre os comportamentos interpessoais entre gajos e gajas (das quais o Alferes será sem dúvida um adepto).

Esta é a visão estereotipada das relações humanas heterossexuais que por aí existem. Um exagero, generalização irreflectida de uma gaja rejeitada!

Mas será mesmo um simples estereótipo sem fundamento?...

Adequadíssimo a este assunto, descobri um outro artigo que fala sobre isso: "As mulheres têm os fios desligados", fala de:
- como "as mulheres são corajosas e os homens cobardes";
- como os homens "só terminam uma relação quando têm outra";
- como "são incapazes de "Já não gosto de ti" de "Não quero mais" ";
- como utilizam bem o cliché "o problema não está em ti, está em mim","Tu mereces melhor do que eu";
- como "não se apaixonam: entusiasmam-se";
- como "só são ternos quando querem fazer amor e acabando o amor arranjam um pretexto para se levantar (chichi, sede, fome, a janela de que se esqueceram de baixar o estore) ou fingem que dormem porque não há paciência para abraços e festinhas";
- como elas gostam do "ronhónhó, a mania das ternuras, dos beijos";
- como elas "contam histórias sem interesse nenhum que nunca mais terminam";
- como elas "querem namoro, diminutivos, palermices";
- como elas sonham "com o Zorro, o Che Guevara, e eles a sonharem com o decote da vizinha";
- como as cartas de amor deles lhes devem dar sempre jeito pois "é só copiar mudando o nome";
- e de mais uma série de coisas, sobre as quais o melhor é mesmo ler (http://bp1.blogger.com/_n8oKlYFA5vQ/SJHxe5nX0CI/AAAAAAAABFk/ZNlN82MAhvE/s1600-h/cronicavis%C3%A3o.jpg).

Sim, todas estas ideias surgem das lamentações e generalização irreflectida de uma gaja rejeitada, que seja ingénua o suficiente para se deixar levar pelo primeiro gajo galante e, aparentemente, bem intencionado, que lhe apareça à frente.

O mais curioso...é que quem escreveu este artigo foi um homem...

Será mesmo, tudo isto, um simples estereótipo sem fundamento?...

sexta-feira, 13 de março de 2009

Trajecamente falando...



O estilista que inventou o traje feminino devia ser processado! É que este modelo está totalmente desadequado!
Se olharmos para ele não sabemos se faz parte da colecção Outono/Inverno ou Primavera/Verão.
Se se usa em dias quentes, é um calor que não se suporta! Se se usa em dias mais frescos, é um frio de rachar!
A capa pesa e é grossa, mas não o suficiente para impedir que aragens mais frescas subam pelas pernas (des)protegidas por finos collants.
Os sapatos são desconfortáveis, e andar com eles uma noite inteira é atentado.
A saia trava as pernas e não nos deixa andar como deve ser.
O casaco é mal jeitoso e sem bolsos suficientes para tudo o que uma rapariga precisa de transportar. Já para não falar que andar sem ele, e sem colete faz-nos parecer empregadas de mesa em camisas semi-transparentes.

Em suma, esta vestimenta não é traje, é trágica!...

...mas eu gosto tanto, e é tão lindo de usar =)

domingo, 8 de março de 2009

Sentir tudo de todas as maneiras

"Deixar a vida acontecer sem lhe dar um nome..."

Foi assim que um dia um grupo de jovens decidiu fazer, com o objectivo de tentar sentir tudo de todas as maneiras, e de ajudar os outros a sentí-lo também.

O caminho foi longo, e não sem altos e baixos.
Começou-se com ideias e pequenas experiências, que foram trazendo mais ideias a juntar à extensa lista.
Nadou-se por uma vastidão de possibilidades, mas aos poucos algo se começou a delinear com maior precisão.
A época das ideias soltas dava lugar à decisão pelo realizável.
Sem se dar conta, foi-se construíndo qualquer coisa...uma peça; um espectáculo; uma experiência? Não sei bem o que foi, mas ela nasceu, ofegante, de uma "vagina InterDita", e com ela nasceram as dores físicas, psicológicas, e emocionais.

Os que assistiram falam:
Daquela que falava russo-japonês
Daqueles que pareciam máquinas
Do outro que se passava no meio deles
Do "coração, se pudesse pensar, pararia..."
Do “quem sou quando sinto? que coisa morro quando sou?”
Da vendas, e da corda
Do balanço entre corpos ao som humano de melodias de embalar
Do didgeridoo no silêncio da escuridão
Dos segredos sussurados ao ouvido
Do "gosto muito de ti mas nunca te disse"
Do "às vezes tenho vontade de desistir"
Dos odores (des)agradáveis
Das correrias
Do cair, e do levantar
Do "estou vivo"
Da "felicidade"
Do "quanto nos custa ser uma curva normal"
Do "se eu gostar muito de ti será incesto desejar-te"
Das obsessões, e dos histrionismos
Das alucinações sensoriais
Do fugir janela fora
Da Alma e o do Eu
Das sombras
Do "olho-te e amo-te e não te possuo nunca"
Da psicologia experimental
Do vulto ao fundo do corredor
Do "conhecer todas as coisas devagarinho, muito devagarinho"
Do outro que se volta a passar na luz intermitente
Do "como todos os meus sentidos têm cio de vós"
Dos tambores
Do "ruge", "relâmpago", "sacode", "espuma", "rompe","quebra", "ócio", "alucinação", "dinamismo"
Dos movimentos aparentemente descoordenados
Do "gosto de um deus que saiba dançar"
Da agitação
Do cair, e do levantar de novo
Daqueles dois que se mexiam de forma estranha
Do caos
Da aglomeração
E, por fim...da explosão

Os que assistiram dizem que mais que assitir, sentiram, tudo, de todas as maneiras.

Eu digo também que senti, tudo, de todas as maneiras. Não apenas naqueles três dias de "estreias", mas durante os meses, semanas, e dias que os antecederam.
Senti, tudo, de todas as maneiras, até ao último suspiro de alívio, por ter terminado, e por ter ultrapassado as expectativas dos outros...e as minhas também.

Mas depois do estado bomba-relógio, e da sua explosão...sente-se a falta o tique-taque incessante...

Porque... "Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir. Sentir tudo de todas as maneiras".

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

24/02/08 vs 24/02/09

Perguntar-se-ão o que de tão especial terá esta data...

À parte de o 24 de Fevereiro de 2009 coincidir com o Carnaval, e de haver milhentos desfiles "pseudo-abrasileirados" por esse Portugal fora, onde se vêem amontoados de banhas e celulites aos saltos, homens mascarados de p****, e cabeçudos em movimentos giratórios...é neste dia que "comemoro" um ano sobre o fim do meu Erasmus...

Ao tentar fazer um balanço sobre este ano que passou, sinto alguma dificuldade...Não que não seja possível fazê-lo, mas porque quase que me apercebo que era capaz de ser mais feliz, enquanto lá estava (mesmo que ainda não o soubesse), pelas coisas que naquele momento não estavam junto a mim, e pela possibilidade futura de outras tantas.

Mas a melhor forma de observar o decurso deste ano é analisar as diferenças e semelhanças entre estas duas datas; ora vejamos:
_
24/02/08__________________________24/02/09
-Pequeno-almoço: de despedida, com_______-Pequeno-almoço: acordei tarde e nem o tomei
croissants quentinhos vindos da pastelaria

-Tempo: tristemente chuvoso e cinzento____-Tempo: solzinho a antecipar a primavera

-Estado de espírito: igual ao tempo________-Estado de espírito: calmamente insatisfeito

-Viagem: Santiago-Coimbra______________-Viagem: Coimbra-Figueira-Coimbra

-Cisma: a tal__________________________-Cisma: a mesma tal

-Peso: bastante________________________-Peso: o mesmo bastante, sem tanto inchaço
____________________________________"hidratocarbónico"
_
-Penteado: ridículo____________________-Penteado: mais comprido e aceitável

-Estado civil: sol.______________________-Estado civil: sol.

-Altura: pouca________________________-Altura: a mesma pouca

-Sardas: 123456789____________________-Sardas: 987654321


Ora...esta informação, embora não seja a suficiente para fazer um grande balanço, faz-me concluir que as coisas mais chatas que se manifestavam no ano passado, continuam a estar presentes (malditos quilos a mais!), e que as coisas realmente importantes de mudar ainda carecem de ser repensadas...
No entanto, nem tudo é/foi assim tão simplista...

Depois de um período daqueles, pode-se dizer que quando se regressa as coisas vão ser iguais, mas isso pelos vistos não acontece.
Muda-se sem se dar conta, e só nos apercebemos quando as pessoas que nos recebem chamam a atenção para isso.
As prioridades alteram-se, as exigências e os interesses também, e passamos a sentir que já não se é capaz de corresponder às expectativas dos outros...mesmo quando achamos que não se tem de mudar a mudança que trouxemos connosco.
Chega-se repleto de projectos, planos, motivação, que cedo acabam frustrados quando de alguma forma nos cortam as asas e nos damos conta que nem tudo é um mar de rosas.
Dão-se afastamentos, aproximações, reaproximações. Vai-se largando aquilo com que já não se identifica, e procurando aquilo que nos preencha as medidas.
Cresce-se? Amadurece-se? Estupidifica-se? A alguns magoa-se, a outros surpreende-se.
Coisas boas surgem para serem de imediato substituídas por outras menos boas. E assim por diante...

Sem dúvida que este ano que passou foi um ano cheio...pelo menos cheio de descoberta de mim e dos outros, nas coisas boas, e menos boas...
Alguns chamar-lhe-iam "crescimento pessoal", eu prefiro chamar-lhe "fodido comó caraças", é que crescer às vezes dói...

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Façamos!

O Chico Buarque cantou um dia:

Os rouxinóis nos saraus fazem
Picantes pica-paus fazem
Façamos, vamos amar

Uirapurus no Pará fazem
Tico-ticos no fubá fazem
Façamos, vamos amar

Chinfrins, galinhas afim fazem
E jamais dizem não
Corujas sim fazem, sábias como elas são

Muitos perus todos nus fazem
Gaviões, pavões e urubus fazem
Façamos, vamos amar

Dourados no Solimões fazem
Camarões em Camarões fazem
Façamos, vamos amar

Piranhas só por fazer fazem
Namorados por prazer fazem
Façamos, vamos amar

Peixes elétricos bem fazem
Entre beijos e choques
Cações também fazem
Sem falar nos hadoques

Salmões no sal, em geral, fazem
Bacalhaus no mar em
Portugal fazem
Façamos, vamos amar

Libélulas em bambus fazem
Centopéias sem tabus fazem
Façamos, vamos amar

Os louva-deuses com fé fazem
Dizem que bichos de pé fazem
Façamos, vamos amar

As taturanas também fazem
com um ardor incomum
Grilos meu bem fazem
E sem grilo nenhum

Com seus ferrões os zangões fazem
Pulgas em calcinhas e calções fazem
Façamos, vamos amar

Tamanduás e tatus fazem
Corajosos cangurus fazem
Façamos, vamos amar

Coelhos só e tão só fazem
Macaquinhos no cipó fazem
Façamos, vamos amar

Gatinhas com seus gatões fazem
Tantos gritos de ais
Os garanhões fazem
Esses fazem demais

Leões ao léu, sob o céu, fazem
Ursos lambuzando-se no mel fazem
Façamos, vamos amar
Façamos, vamos amar

... então e as joaninhas???

video

(Não nos responsabilizamos por qualquer dano causado pela exposição a tais imagens, parvoíces, e vozes irritantes!)

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Isto ainda mexe?

Sim, por aqui ainda se respira...mas fica mesmo só por aí...

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Confusão de nacionalidades?

Mas porque raio uma garrafa de vinho galego tem no rótulo uma imagem da Torre de Belém?!...


Querem ver que os descobrimentos se fizeram a partir da Ria de Vigo, e que andamos a ser enganados na escola quando nos dizem que as naus e caravelas dos descobrimentos partiram de Lisboa, pelo Rio Tejo?...

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Isto sim é serviço público!

É muito bom saber que o nosso querido núcleo da faculdade (NEPCE/AAC) tem actividades só para nós, e que informa!



Mas informa o quê?...



quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Caricaturices

Se o Sr. Luís Costa "diz" que eu sou assim...
.
quem sou eu para negar...

sábado, 24 de janeiro de 2009

Horóscopices

Horóscopo semanal - De 19 de Janeiro a 25 de Janeiro

BALANÇA

Amor – A sua personalidade vai estar mais entusiasta, independente e combativa; poderão mesmo surgir paixões fortes e ardentes, podendo resvalar para situações onde predominem o ciúme e a imoderação emocional e sentimental. Face a uma busca impetuosa do prazer e do romance, podem ocorrer disputas e situações conflituosas e complicadas nos romances. Procure moderar os seus impulsos e estar atento para não se colocar em situações amorosas complicadas.

Saúde e Bem-estar - Esta é a altura ideal para cortar radicalmente com tudo o que lhe possa prejudicar a saúde. Fume e beba menos, se for este o seu caso. Boa altura para fazer exames de rotina para verificar se está tudo bem com o seu estado geral de saúde.



E agora eu pergunto... "Porque é que não li o horóscopo no início da semana?..."

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Lovers can't be friends

O título desta música está cheio de razão, e o resto também...
.
"I think I need to believe that it works...
Love...
Couplehood...
Partnerships...
.
The idea that when people come together, they stay together.
I have to take that with me when I go to bed at night.
Even if I´m going to bed alone..."

Lovers Can't Be Friends
One Hundred Steps

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Incompatibilidades...

Decididamente...
.
.
Virilidade não combina com Sabedoria...
.
.
.
(e mais não digo...)

sábado, 3 de janeiro de 2009

E venha mais um...

No final/início de cada ano há sempre aqueles momentos de fazer balanços de anos passados e estabelecer perspectivas sobre anos vindouros.
.
Sempre, e inevitavelmente, há a esperança de que o novo ano seja "O Ano!":
"Este ano é que vou começar a estudar antecipadamente e ter altas notas!"
"Este ano é que vou fazer os trabalhos a tempo e horas!"
"Este ano é que vou fazer dieta e emagrecer 10 quilos!"
"Este ano é que vou ficar toda boa para ir para a praia!"
"Este ano é que vou viajar bué por essa Europa fora (e quem sabe também por Portugal)!"
"Este ano é que vou mudar de cisma, e arranjar uma outra cisma que valha a pena!"
"Este ano é que vou atinar e não me meter em merdas!"
"Este ano é que..."
.
No final de cada ano vemos, no entanto, que poucos foram os desejos ou projectos concretizados.
Apesar disso, a cada passagem de ano continuamos a pegar em 12 passas, e a pedir 12 desejos, a cada uma das 12 badaladas de ano novo.
Quer se concretize quer não, a fé naquele momento, e na mudança de novo ano é que conta.
.
Por isso, meus amigos, para este ano desejo:
* Muita PAZ para o mundo (agora já me posso candidatar a Miss Mundo)
* Muitos LOLÓS (anormais ou não) para as amigas
* Muita SAÚDE para os amigos (porque "Saudinha é que é preciso!")
* Muito AMOR para toda a gente (ou então a combinação de "pás e amor")
.
E...sem ser egoísta...para mim desejo, fundamentalmente:
* Manutenção de amizades
* Reaproximação de amizades
* E renovação de cismas (porque a música também ficava muito bem se fosse: "Muda de cisma se tu não vives satisfeito, muda de cisma estás sempre a tempo de mudar").