terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

24/02/08 vs 24/02/09

Perguntar-se-ão o que de tão especial terá esta data...

À parte de o 24 de Fevereiro de 2009 coincidir com o Carnaval, e de haver milhentos desfiles "pseudo-abrasileirados" por esse Portugal fora, onde se vêem amontoados de banhas e celulites aos saltos, homens mascarados de p****, e cabeçudos em movimentos giratórios...é neste dia que "comemoro" um ano sobre o fim do meu Erasmus...

Ao tentar fazer um balanço sobre este ano que passou, sinto alguma dificuldade...Não que não seja possível fazê-lo, mas porque quase que me apercebo que era capaz de ser mais feliz, enquanto lá estava (mesmo que ainda não o soubesse), pelas coisas que naquele momento não estavam junto a mim, e pela possibilidade futura de outras tantas.

Mas a melhor forma de observar o decurso deste ano é analisar as diferenças e semelhanças entre estas duas datas; ora vejamos:
_
24/02/08__________________________24/02/09
-Pequeno-almoço: de despedida, com_______-Pequeno-almoço: acordei tarde e nem o tomei
croissants quentinhos vindos da pastelaria

-Tempo: tristemente chuvoso e cinzento____-Tempo: solzinho a antecipar a primavera

-Estado de espírito: igual ao tempo________-Estado de espírito: calmamente insatisfeito

-Viagem: Santiago-Coimbra______________-Viagem: Coimbra-Figueira-Coimbra

-Cisma: a tal__________________________-Cisma: a mesma tal

-Peso: bastante________________________-Peso: o mesmo bastante, sem tanto inchaço
____________________________________"hidratocarbónico"
_
-Penteado: ridículo____________________-Penteado: mais comprido e aceitável

-Estado civil: sol.______________________-Estado civil: sol.

-Altura: pouca________________________-Altura: a mesma pouca

-Sardas: 123456789____________________-Sardas: 987654321


Ora...esta informação, embora não seja a suficiente para fazer um grande balanço, faz-me concluir que as coisas mais chatas que se manifestavam no ano passado, continuam a estar presentes (malditos quilos a mais!), e que as coisas realmente importantes de mudar ainda carecem de ser repensadas...
No entanto, nem tudo é/foi assim tão simplista...

Depois de um período daqueles, pode-se dizer que quando se regressa as coisas vão ser iguais, mas isso pelos vistos não acontece.
Muda-se sem se dar conta, e só nos apercebemos quando as pessoas que nos recebem chamam a atenção para isso.
As prioridades alteram-se, as exigências e os interesses também, e passamos a sentir que já não se é capaz de corresponder às expectativas dos outros...mesmo quando achamos que não se tem de mudar a mudança que trouxemos connosco.
Chega-se repleto de projectos, planos, motivação, que cedo acabam frustrados quando de alguma forma nos cortam as asas e nos damos conta que nem tudo é um mar de rosas.
Dão-se afastamentos, aproximações, reaproximações. Vai-se largando aquilo com que já não se identifica, e procurando aquilo que nos preencha as medidas.
Cresce-se? Amadurece-se? Estupidifica-se? A alguns magoa-se, a outros surpreende-se.
Coisas boas surgem para serem de imediato substituídas por outras menos boas. E assim por diante...

Sem dúvida que este ano que passou foi um ano cheio...pelo menos cheio de descoberta de mim e dos outros, nas coisas boas, e menos boas...
Alguns chamar-lhe-iam "crescimento pessoal", eu prefiro chamar-lhe "fodido comó caraças", é que crescer às vezes dói...

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Façamos!

O Chico Buarque cantou um dia:

Os rouxinóis nos saraus fazem
Picantes pica-paus fazem
Façamos, vamos amar

Uirapurus no Pará fazem
Tico-ticos no fubá fazem
Façamos, vamos amar

Chinfrins, galinhas afim fazem
E jamais dizem não
Corujas sim fazem, sábias como elas são

Muitos perus todos nus fazem
Gaviões, pavões e urubus fazem
Façamos, vamos amar

Dourados no Solimões fazem
Camarões em Camarões fazem
Façamos, vamos amar

Piranhas só por fazer fazem
Namorados por prazer fazem
Façamos, vamos amar

Peixes elétricos bem fazem
Entre beijos e choques
Cações também fazem
Sem falar nos hadoques

Salmões no sal, em geral, fazem
Bacalhaus no mar em
Portugal fazem
Façamos, vamos amar

Libélulas em bambus fazem
Centopéias sem tabus fazem
Façamos, vamos amar

Os louva-deuses com fé fazem
Dizem que bichos de pé fazem
Façamos, vamos amar

As taturanas também fazem
com um ardor incomum
Grilos meu bem fazem
E sem grilo nenhum

Com seus ferrões os zangões fazem
Pulgas em calcinhas e calções fazem
Façamos, vamos amar

Tamanduás e tatus fazem
Corajosos cangurus fazem
Façamos, vamos amar

Coelhos só e tão só fazem
Macaquinhos no cipó fazem
Façamos, vamos amar

Gatinhas com seus gatões fazem
Tantos gritos de ais
Os garanhões fazem
Esses fazem demais

Leões ao léu, sob o céu, fazem
Ursos lambuzando-se no mel fazem
Façamos, vamos amar
Façamos, vamos amar

... então e as joaninhas???

video

(Não nos responsabilizamos por qualquer dano causado pela exposição a tais imagens, parvoíces, e vozes irritantes!)

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Isto ainda mexe?

Sim, por aqui ainda se respira...mas fica mesmo só por aí...

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Confusão de nacionalidades?

Mas porque raio uma garrafa de vinho galego tem no rótulo uma imagem da Torre de Belém?!...


Querem ver que os descobrimentos se fizeram a partir da Ria de Vigo, e que andamos a ser enganados na escola quando nos dizem que as naus e caravelas dos descobrimentos partiram de Lisboa, pelo Rio Tejo?...